,

Como funciona a pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte deve ser utilizada somente em casos de emergência.

Apesar de ser bastante falado entre os adolescentes e jovens adultos, sexo sem camisinha ainda é bastante praticado. Alguns acreditam que atrapalha na relação, outros simplesmente não tem o costume de utilizar. Além de colocar os praticantes em risco, já que várias doenças são transmitidas sexualmente, o casal pode ter uma gravidez indesejada e nesse momento que muitos utilizam a pílula do dia seguinte.

Mas como ela funciona? Qual é o tempo máximo que você pode utiliza-la? Ela para de fazer efeito a partir de uma quantidade de vezes que se utiliza? Essa matéria vai responder essas perguntas e ainda dar algumas dicas sobre a utilização desse medicamente tão polêmico. Confira tudo que você precisa saber sobre a pílula do dia seguinte:

Como ela age no corpo feminino?

Foto: tuasaude.com

As pílulas do dia seguinte no mercado, em sua maioria, possuem levonorgestrel, que é basicamente um hormônio sintético que inibe a gravidez. Elas possuem cerca de 1,5 miligramas do hormônio e apesar de ser conhecida como “pílula do dia seguinte”, o quanto mais cedo você tomar, mais eficaz será o efeito dela.

Muitos acreditam que esse remédio é um remédio abortivo, mas não é bem assim. A pílula do dia seguinte pode funcionar de três formas, sempre dependendo do tempo que você a ingeriu após a relação:

  • Ela pode retardar a ovulação ou mesmo prevenir a ovulação.
  • Ela pode interferir na fertilização do óvulo, ou seja, tornar mais difícil que o espermatozoide fecunde o óvulo.
  • Ela pode impedir que o óvulo já fecundado se instale no útero.

Essas três formas fazem com que não ocorra a gravidez indesejada, mas é bom lembrar que o método não tem 100% de eficácia, principalmente quando se passam muitas horas após o ato sexual.

Em quanto tempo devo tomar a Pílula do Dia Seguinte?

Foto: tuasaude.com

Os números são bem simples, você precisa tomar a pílula em até 72 horas após o ato sexual, lembrando que quanto mais cedo, melhor a eficácia. Quando ingerida até 24 horas após o ato, existe uma chance de 95% da pílula ser efetiva, com o passar das horas, até 72 horas, essa porcentagem pode ir para 89%.

Alguns especialistas dizem que a pílula pode fazer efeito até mesmo em 5 dias após o sexo, porém as chances dela não ser efetiva são extremamente altas, principalmente comparadas aos número já apresentados.

Efeitos colaterais

Foto: tuasaude.com

Como a grande maioria dos remédios, a Pílula do Dia Seguinte possui diversos efeitos colaterais. Como cada corpo reage de forma diferente a cada medicamento, mulheres podem não sentir nenhum efeito ou mesmo sentir todos. Os efeitos colaterais são:

  • Náuseas
  • Dor abdominal
  • Fadiga
  • Dor de cabeça
  • Alterações menstruais
  • Vômito

Uma dica importante é que caso a pessoa que tomou a pílula vomitar em menos de 2 horas após a ingestão da pílula, é necessário consultar um médico. Existem algumas chances do medicamente não ter sido absorvido totalmente pelo corpo, fazendo com que o efeito do mesmo não aconteça.

Por fim é bom lembrar que esse método é apenas um método de emergência. Você deve utiliza-lo por exemplo quando a camisinha estoura ou em caso de sexo sem consentimento. Usar a Pílula do Dia Seguinte mais de uma vez por mês pode ser prejudicial à saúde, além do remédio perder a eficácia.

E aí, o que achou? Comenta aí e compartilha com todo mundo que vai adorar essa matéria.

Fontes: Webmd, Dráuzio Varella

Imagens: Tua Saúde, OPAS